Olhos amendoados.

“Admire me, admire my home
Admire my son, he’s my clone”
Do The Evolution
Pearl Jam

Eu e meu marido somos fisicamente bem diferentes. Eu sou bem baixinha e morena, e ele bem alto e branquelo. Por isso, quando eu estava grávida, me divertia muito imaginando como seria nossa pequena, pois ela poderia ser loira, morena, alta, baixinha, magrinha, fofinha… E não éramos somente nós os curiosos: no chá de bebê da Alice fizemos brincadeiras em que os convidados chutavam que traços ela puxaria do papai e da mamãe e desenhavam a Alice. E foi o maior sucesso! Com quem ela se pareceria? Herdaria a boca de quem? Teria os olhos claros do papai? A coxa grossa da vovó Soninha? E eu ria e falava: pode vir de qualquer jeito, mas tomara que não herde o meu pé!

Mas logo que tivemos a notícia que a Alice tinha SD, toda essa fantasia terminou em um piscar de olhos. Assim que recebemos alta do hospital e chegamos em casa comecei a pesquisar mais sobre a síndrome. Fui na pesquisa de imagens do google e comecei a olhar as fotos… E então um pensamento sombrio apareceu em minha cabeça: minha filha não vai parecer comigo. Ela não vai parecer com ninguém, vai ter o mesmo rosto que todos as pessoas com síndrome de down tem. E então fiquei triste por ela, afinal todos nós temos direito a ter um rosto único, assim como temos direito a um nome, a uma identidade… Que injustiça ela ser desprovida dessa individualidade.

Mas com o passar dos dias comecei a ler blogs de outras mães com filhos especiais. E acompanhar sites, ler matérias e assistir reportagens. E quanto mais eu pesquisava, mais eu notava que eles são sim diferentes. E que essa ideia de que são todos iguais era um preconceito meu, reflexo do descaso e distância que a sociedade toma dos deficientes. Será que nós olhamos direito para pessoas com deficiência? Ou vemos uma cadeira de rodas antes de ver um tetraplégico? Vemos uma síndrome antes de ver uma criança? Vemos uma bengala antes de ver um cego?

A Alice parece sim comigo (e um pouquinho com o pai dela, vai…). E graças a Deus não puxou meu pé. 🙂

E agora, quanto mais eu reflito sobre tudo isso, chego a conclusão que mesmo se ela não se parecesse comigo e com o pai dela, que problema teria? Será que nossos filhos só merecem nosso amor se fossem nossa cópia? Se forem nossa versão 2.0, pequenos projetos de nós mesmos, revisados e melhorados? Ei, estamos criando filhos ou clones? Ao querer que eles pareçam a todo custo conosco, tenham nosso jeito, trabalhem na mesma profissão que a nossa, gostem das mesmas bandas que a gente, estamos tirando deles aquilo que eu estava tão aflita que a alice não teria: sua individualidade.

E termino com um mosaico de imagens que mostram como as crianças com síndrome de down tem olhos amendoados sim, mas também covinhas, sardinhas… e – no caso da Alice – o narizinho mais lindo do mundo. (Fotos retiradas do facebook do Movimento Down, com exceção da Alice na imagem central).

Anúncios

27 comentários sobre “Olhos amendoados.

  1. stellarivello disse:

    É a minha tulipinha! Sim, Lóu, já acho que ela se parece contigo em algumas coisas, como o beicinho!! Mas ainda tenho esperança que ela puxe algo da titia Neinha! (e não vale dizer que vai ser te encher o saco, porque nisso ninguém é tão bom quanto eu!). Dinda Thaysi, segundo a Carol, Alice vai puxar os teus cabelos! Ai, amo tanto essa pequena!!!

  2. Simone Moretto disse:

    Carol tenho acompanhado com tanta admiração o seu blog …
    E não diferente esse seu último post veio para me emocionar e mostrar que as diferenças são fundamentais para esse mundo em que vivemos.
    Parabéns!

  3. Clarissa disse:

    Há, meu filhote não tem nada meu (tirando o culote que eu descobri esses dias… sim, meu filho tem culote!!! rsrs…) e amo ele muito e é um amor que não se descreve. Filhos são assim, mágicos, amamos ele do jeitinho que ele veio para nós! A Alice é assim, uma princesa cheia de lindezas e tenho certeza que cada dia terá mais a individualidade dela e os gostos que irão refletir na sua personalidade. Essa é a beleza da vida, o dia a dia, o aprendizado, o novo! Beijo querida, e beijo na nossa princesa Alice!

  4. Natalya disse:

    Eu também vejo muitos traços diferentes, os olhos amendoados são só a característica mais evidente. Eu nunca te vi pessoalmente, mas tbm acho o nariz da Alice igualzinho ao seu! 😀 Beijos!

  5. Neusa Locatelli Piva disse:

    Lindo seu blog, me emocionei quando li. Sei que não é facil, mas Deus é grande e sempre estará ao seu lado para dar-te forças e sabedoria para lidar com o novo.
    Que Deus os acompanhe e abençoe a Alice. Ela é uma boneca muito fofa.
    abraço

  6. Renée disse:

    Carolzinha a Alice é realmente exclusiva! e linda! Acho que a diversão de encontrar semelhanças não é sò dos pais, mas dos filhos também né?? Com certeza a Alice vai adorar se descobrir em aspectos parecidos contigo e com o Thomas (ou com alguém da extensão Ventura de Souza Rivello Silva 🙂 ) o nariz, o cabelo, mas a risada, os gostos e o astral também! E lindo ter a Individualidade, mas ainda mais lindo ter o Grupo: essa familia que tens Carol!! E que eu me sinto meio parte e por isso sortuda! LOVE YOU

  7. Karina disse:

    Parabéns pelo blog! Tia Soninha foi uma das melhores professoras que eu tive! 🙂
    E quero dizer, como irmã de uma linda fofura com SD, que com certeza a Alice vai te surpreender a cada dia. Por exemplo, eu nunca imaginaria que a minha amorinha se tornaria vaidosa e até “viciada” em sapatos e bolsas como eu. Muito bom teu blog! Muito e muito amor pra vc, pra Alice e pra tua família! (:

  8. Paula Arantes disse:

    Eles nao sao nem um pouco parecidos, ali, apesar dos olhinhos dà pra ter certeza que a ùnica de descendencia oriental meeesmo è a primeira menininha hihi ❤ Vc disse uma verdade absoluta que poucos tem coragem de dizer "era um preconceito meu, reflexo do descaso e distância que a sociedade toma dos deficientes" Mais um texto lindo Carol, um assunto muito relevante tratado com delicadeza e sabedoria 😉

  9. Milla Gonçalves disse:

    Oi Carol, acompanho seu blog e não costumo comentar muito, mas amei esse post e suas palavras me emocionaram, muito legal…você é linda e sua filhota é mais ainda, parabéns!! Bjs God bless you

  10. Ricardo Pisani disse:

    Carol, só li agora esse post, mas ainda bem que li, pois é muito bonito e verdadeiro, e mostra a tua maturidade, ao relembrar a importância das diferenças individuais, e diminuir um pouco a ‘neura’ de nós, papais e mamães, aflitos em querer encontrar ‘clonezinhos’ semelhantes – alguns gostariam até que fossem ‘iguais’ mesmo, quem sabe! – nos nossos pequenos. Muita gente, e nós mesmos às vezes, se esquece de que filhos são criados por nós, mas são únicos, e não são uma propriedade, mas são do mundo, pertencem à sua própria vida, seu próprio destino. Chega de querer ser ‘donos’ das suas vidas e até das suas aparências (o olhinho DO pai, a pernina DA mãe, etc). Beijos mais uma vez pro trio – Alice, Carol, Thomas, do ‘titio’ Ricardo Pisani.

  11. Patricia disse:

    Oi Carol, fazia algum tempo que não lia o blog, mas hoje estava “passeando” pelo face e vi que a Stella compartilhou o post do primeiro não e antes de acessar o blog, quando observei a foto da Alice pensei “Nossa como ela está parecida com a Carol”, muitas fotos publicadas aqui no blog, mostram a Alice com expressões muito semelhantes as tuas. Parabéns! Pelo amor, pela força, pela luta e principalmente pela família linda que vocês formam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s