Oinkorama!

Quem acompanha o blog há pouco tempo talvez não saiba, mas além de mãe da Alice, também sou designer e Ilustradora. Um pouco antes da Alice nascer eu começava a tirar da gaveta uma vontade antiga, que era a de ter uma marca própria, vendendo produtos autorais com minhas ilustrações. Enquanto eu terminava de pensar como seria a loja, bebê Pig decide nascer, 3 semanas antes do previsto, e minha vida mudou completamente. O projeto voltou pra gaveta, mas dessa vez ela ficou entreaberta.

E duas semanas atrás eu finalmente decidi criar coragem e coloquei a loja no ar, mesmo sem estar perfeita. E como uma boa apaixonada por porquinhos, mãe de uma bebê Pig, nomeei a loja: Oinkorama!

A primeira coleção homenageia o outono agora pensando bem vejo como essa linha celebra mesmo é a minha vida com Alice. Ter uma filha com uma deficiência me fez viver e apreciar as mudanças que a vida traz. E a primeira ilustração foi feita com isto em mente:

oinkorama3

Ter a Alice também me fez admirar a beleza da diversidade, inclusive das folhas:oinkorama01

E, finalmente, percebi que o que é tido como diferente também pode ser especial e sortudo. Em homenagem à minha pequena, que também tem uma “folhinha” a mais:

oinkorama02

Estou planejando vender algum produto no futuro com parte dos lucros voltado a pesquisas sobre SD. Falta decidir qual pesquisa eleger… aceito sugestões! Espero que gostem da lojinha e desta primeira coleção.

http://www.carolrivello.com/oinkorama/ 🙂 Oink-kisses!

Anúncios

DJ Pig #01

Eu amo música e coloco todos os dias para a bebê pig ouvir. Vou reunir hoje 5 dicas de músicas que a gente curte aqui em casa, com selo bebê pig de qualidade. Quem sabe assim a pobre galinha pintadinha tira umas merecidas férias? 🙂

capa1. A fonoaudióloga da Alice indicou e eu adorei: “Musicalização” é um cd com músicas para bebês e crianças, onde cada música/atividade foi cuidadosamente criada a partir de objetivos específicos de desenvolvimento. Os arranjos musicais buscam proporcionar um momento divertido, inteligente e criativo para pais e filhos.

 

logo2. Descobri a banda Pequeno Cidadão pelas minhas andanças na internet: “Tudo começou em 2008, quando 4 pais amigos e músicos (Antonio Pinto, Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra e Taciana Barros) resolveram gravar com seus filhos. Depois de muita diversão e trabalho no estúdio, em junho de 2009, foi lançado o CD PEQUENO CIDADÃO.

1473. Os Saltimbancos é um musical infantil com letras de Sergio Bardotti e música de Luis Enríquez Bacalov, com versão em português e músicas adicionais de Chico Buarque. Esta é uma obra maravilhosa! Sempre que a ouço fico pensando como as escolas (e até mesmo a gente!) poderiam aproveitá-la para ensinar filosofia, geografia, ciências sociais, história, literatura…

 

arcadenoe

4. A arca de noé, do Vinícius de Moraes é outra ótima opção! Eu adorava a música “O Pato” quando era criança, e hoje ouço junto com minha filha. Eu curto o disco em sua versão original, mas se não me engano lançaram uma nova edição atualizada ano passado! Para quem não encontrar ou não puder comprar, fica a dica: tem várias músicas do album no youtube, com animações legais para os pequenos 🙂

 

paulecosandreca5. Palavra Cantada é uma dupla musical infantil formada em 1994 por Paulo Tatit e Sandra Peres. É caracterizado por canções infantis de linhas marcantes, que prezam pela elaboração das letras, arranjos e gravações, com uma poética sensível e respeito à inteligência das crianças. Um dos mais recentes trabalhos deles chama-se Pauleco e Sandreca e é fantástico. Além disso, (para os pequenos que já assistem TV) o dvd deste trabalho é uma obra prima.

São dicas simples, nenhuma novidade mirabolante, mas espero que tenham gostado! 🙂 E vocês, que músicas gostam de ouvir com seus pequenos?

Gerenciando ansiedades

“Não tenho tempo pra esperar a hora
Tem que aqui tem que agora
Agora não, já!”

Adoro esse trechinho da música “Eu sou um bebezinho” do “Palavra Cantada”. Adoro porque né? Me identifico. Eu sou uma pessoa ansiosa, daquelas que tem bruxismo desde criança. Quero resolver tudo. Agora. Um dos ensinamentos que a chegada da Alice trouxe foi, sem dúvidas, respeitar que as coisas tem seu tempo. Li certa vez uma frase genial: “9 mulheres grávidas não geram um filho em um mês”. E é bem por aí, muitas vezes não adianta você querer que algo aconteça logo, certas coisas estão fora do seu controle. Acho que a origem da minha ansiedade justamente vem de querer controlar tudo, inclusive o tempo.

Pra complicar ainda mais, de umas semanas pra cá eu fiquei com a impressão que a Alice deu uma “empacada” no desenvolvimento motor. O bichinho da ansiedade voltou a me cutucar e confesso que me senti um pouco hipócrita. Será que eu era tão tranquila com o desenvolvimento da Alice porque no final das contas ela não tinha tanto atraso assim? E foi só ela atrasar um pouco mais para eu ficar impaciente novamente?

Estou tentando melhorar, e com o passar dos meses aprendi a respeitar o tempo da Alice: fui ficando mais calma, pensando menos em questões futuras e que fugiam ao meu alcance. Aliás, um dos objetivos do #NVCA é transmitir esta filosofia para os leitores, estimular seus filhos mas entendendo o tempo deles. No entanto é bem difícil traçar essa linha, não é mesmo? Até onde a paciência vira conformismo? E como distinguir estimulo saudável de uma pressão inadequada? A maternidade (e parternidade) traz muitas reflexões, e saber onde desenhar esta linha é um dos meus maiores desafios. Sei que muitos se identificarão com esta angústia.

Tenho que relembrar sempre (e isso é um belo exercício para gerenciar ansiedades) que não posso vincular minha alegria em ser mãe e meu orgulho da Alice somente às suas conquistas. É injusto comigo e principalmente com ela. Minha alegria deve estar entrelaçada principalmente à minha profunda gratidão por tê-la como filha.

cute

Minha maior alegria é ter essa figurinha ao meu lado todos os dias. 🙂