Na foto: Papai thomas com uma chuquinha rosa no cabelo, Alice dando uma gargalhada e Antônio com o boné do seu avô. Para terminar o post com uma dose de alegria :)

Round 2 – fight!

Um mês atrás refizemos os exames específicos (ácidos orgânicos) para investigar como vai o sistema digestivo da Alicinha. De uns meses pra cá sua integração sensorial decaiu muito, me deixando de cabelo em pé, então decidi fazer um mineralograma também, mesmo sabendo que o exame é um pouco controverso. Segundo a médica que nos acompanha nestas questões, este exame não é totalmente confiável (espero ter entendido direito a explicação em inglês dela, e não estar falando nenhuma bobagem aqui), pois muitas vezes a pessoa pode estar contaminada, mas não estar colocando pra fora, não aparecendo, assim, em seu cabelo. Resumindo, falsos negativos acontecem. Mas eu cheguei num ponto de desespero que mesmo assim quis fazer, para ter uma luz do que estava acontecendo com minha pequena. No dia de enviar as amostras eu tinha desistido de fazer o teste 😅 – fiquei com pena de tirar uma mechinha de seu cabelo – mas eu teria que refazer toda a papelada alfandegária, uma trabalheira, então acabei no impulso fazendo. A Alice está particularmente alterada com a questão oral e tátil. A questão vestibular era muito significativa quando ela era menor, mas com o tempo foi melhorando. Visão e audição parecem estar dentro da normalidade.

Nossa, esse era para ser um post rápido dando notícias, mas já estou aqui divagando e escrevendo bastante. Mas gosto de contar sobre nossa experiência por aqui para poder quem sabe trazer luz ao assunto, e alertar outras famílias sobre problemas intestinais, e como eles muitas vezes são a raiz de outros problemas. Então, como falei da última vez, alicinha estava com um quadro complexo de disbiose, que envolvia parasitas, bactérias, fungos, etc. Enfim, seguimos o tratamento que a medica nos propôs, algumas coisas seguimos à risca, outras não conseguimos fazer plenamente por falta de tempo e organização da nossa parte. E na consulta de ontem descobri que uma parte do tratamento eu entendi errado, ops. 😁 Era para eu ter introduzido uma suplementação de uso contínuo, e eu introduzi apenas por seis semanas, o tempo do tratamento específico que fizemos para candida.

Os resultados dos exames chegaram após um mês e percebemos, já com ajuda do laudo detalhado que acompanha o resultado, que ela ainda tinha um quadro bem complexo de disbiose, ligeiramente melhor, mas ainda bem complicado. Não foi nenhuma surpresa… clinicamente era o que eu percebia. Existe a possibilidade de que ela estivesse melhorando, mas a cirurgia 3 em 1 que ela fez dois meses atrás tenha feito essa situação regredir. (muitos medicamentos, anestesia, etc). O resultado do mineralograma também foi preocupante. Ela está contaminada com vários elementos tóxicos, com destaque especial para alumínio, que está super alto.

– Mas onde a alicinha se contaminou, Carol?

Bom, eu estou com diversas suspeitas, que incluem a água da casan, que foi autuada por excesso de alumínio em dezembro, uma máquina que eu uso para fazer leites vegetais, que preciso investigar bem a composição, alguns produtos industrializados que eu até já parei de usar, mas que podem a ter contaminado. Além disso, a sua disbiose promove uma situação chamada leaky gut, onde o sistema digestivo fica poroso, deixando passar para seu organismo elementos que não deveriam estar ali (a comunidade médica deve ficar de cabelo em pé com meu jeito tosco de explicar as coisas, rs) Então curando esse seu quadro, a quantidade de alumínio vazando e contaminando seu corpo diminuiria. Assim esperamos. Aparentemente água que contenha naturalmente sílica ajuda a fazer o detox. Irei atrás de uma que não me deixe à beira da falência.

E quanto a disbiose, lá vamos nós para uma segunda fase de tratamento. Dessa vez um pouco mais intensiva, ainda que seja toda baseada em componentes botânicos (a médica que nos acompanha é naturopata). A boa notícia é que fizemos amplos exames de tireóide, e está tudo – pela primeira vez – super controlado. Ao menos uma coisa boa 😄 Então fica aqui mais um capítulo da nossa saga, espero que ajude a trazer mais atenção para essa questão, alertar outras famílias. Problemas de pele, questões comportamentais, dificuldade em crescer e em ganhar peso, transtorno de integração sensorial, entre outras várias questões: investiguem o intestino. 😊

Na foto: Papai thomas com uma chuquinha rosa no cabelo, Alice dando uma gargalhada e Antônio com o boné do seu avô. Para terminar o post com uma dose de alegria :)

Na foto: Papai thomas com uma chuquinha rosa no cabelo, Alice dando uma gargalhada e Antônio com o boné do seu avô. Para terminar o post com uma dose de alegria 🙂

Anúncios

Um comentário sobre “Round 2 – fight!

  1. Deisy Aguiar Elias disse:

    Carol, amada. Ha tempos eu tenho isso na lista de coisas importantes, mas uma coisa ou outra me impedem. Obrigada pelo teu post, esse assunto ja subiu para o numero 1. Preciso investigar o intestino do Adam. Provavelmente vou te encher de perguntas nas proximas semanas. obrigadao pelo post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s